Arquivo de etiquetas: viver

Camuflagem

Sombra deserta, deserdada
Pinta a poesia de palavras
Cresce em meu corpo, o mundo
Provoca a intimidade calada

Se enxerga letras no ar
São meus versos o que vês
Camuflados de melancolia
Fadados ao desmanchar

Mescla de terra e devir
Que o livro de cor entoa
Andaluz e pálido sentir
Que a alma se vive, voa…

Ana Oliveira

Uma poesia de bom dia

Quando amanhece
E eu vejo o sol brilhando lá em cima
Eu lembro de você.
Quando anoitece
Ou quando a lua se oferece ao dia, lá em cima
Eu lembro de você.

Quando estou triste, desanimado,
Ou quando quase, por um pouco, não há esperança
Eu lembro de você.
Quando me alegro e tenho forças
Ou quando quero mudar o mundo
Eu lembro de você.

Se o que resta-te é viver nesse mundo sem sentido,
O que resta-me é viver neste com você.

Guiomar Baccin

O inimigo

Saia daqui, deixe-me sentir a brisa sobre a minha cabeça,
Saia daqui, deixe-me sentir aquilo que me faz viver,
Eu sei, todas as coisas mudaram,
O caos cegou os meus olhos e atravessou a minha alma.

Porque não me deixa acreditar que você não existe?
Eu quero fugir, mas você me persegue.
Talvez eu não consiga escapar das suas lâminas,
Talvez eu não consiga escapar da sua ira.

Você destrói tudo que eu faço
Você destrói tudo que eu penso
Você destrói tudo que eu amo
Você destrói tudo o que eu sou.

Abra a sua mente
Destrua as suas mentiras
Olhe para dentro
Expanda a sua percepção

Tantas guerras em minha mente,
Tanta ilusão ao meu redor
Tudo criado pelo meu ego
Tudo criado pelo meu inimigo interno.

Joelson Becker

O Tempo

O relógio, tique-taque
E o tempo vai passando
Nossa vida se perdendo
O que estamos esperando?

Sendo escravos do trabalho
Trocando-se por ouro
Mas o que a gente perde
É nosso maior tesouro

Nossos bens são esquecidos, revendidos, destruídos
E o dinheiro gasto a toa, o mal uso, que abuso!

Mas o tempo não se compra
Não se volta
Ou rebobina

Não se acha em algum beco
Nem no prédio
Nem na esquina

Nosso tempo a gente faz
A gente vive
Não o perca!

Não seja mais uma ovelha
Liberte-se
Pule a cerca!

O relógio, tique-taque
E o tempo vai passando
Nossa vida se perdendo
O que você está esperando?

Felipe Daltoé