Arquivo de etiquetas: morte

Eterno

Pensamento distante
Coração pulsante
Ando fora do trilho
Sou apenas um andarilho

Sem mente
Sem alma
Corpo vazio
Sinto-me com frio

Esse devaneio me enlouquece
O álcool, por dentro me aquece
Meus sentimentos se esgotam
Mas, em seu lugar, outros brotam

Eu sinto dor
Eu vivo a dor
Não vejo cor
Não me resta amor

Esse longínquo luar
Farei das estrelas meu humilde teto
Enquanto a dor despedaça
Meu coração de concreto

Surgi em segundos
E tão logo sumirei
Vou me misturar ao vento
E disso então esquecer-me-ei

Estou tão alto quanto o céu
E tão baixo quanto o inferno
Não há vida e nem há morte
Serei eterno

Felipe Daltoé

Se eu parar de escrever

Se eu parar de escrever
Considere-me morto
Não na mortalidade do corpo
Mas na ausência do ser.

Repito, se eu parar de escrever
É sinal de que há muito estou longe
Não me agrada a ideia de morrer
Mas meu tinteiro já está quase vazio.

Então, uma última vez eu lhe digo
Se fores mesmo amigo
Não venha me procurar
Porque se eu parar de escrever
É nos versos que vais me encontrar.

Luiz Felipe M. Santana

Soneto da morte do amor

desista do meu choro, suplico
pois é ele que me escolhe
o choro do cavaquinho, do Chico
o choro do morro que engole

chega de só querer mar vasto
concentra no miúdo, no luzeiro
é ali que nasce o mundo casto
chega deste choro milagreiro

provoca o riso mesmo com lágrima
finge, disfarça, que logo passa
e vai manchando página por página

é do chorar que se escreve a dor
e da tristeza se arranca a sorte
de um amor, que por ora é morte.

Anna Poulain