Feito poema

Candura de coração
tão suave são seus olhos cor de céu
que nenhum véu pode encobrir
tamanha leveza em seu ser.
À beleza, cá olhando para ela, aprendi:
não advêm de seu corpo, de seus olhos
azuis celestiais, tampouco de seus lábios
sempre sorrindo, mas de sua
munificência para com a vida. Assim,
ela era, toda inteira:
poesia.

Marcelo Schabarum

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *