Resenha / Crítica Literária

Olá aos leitores do nosso humilde blog. É com prazer que estréio minhas resenhas e críticas literárias. E tenho o prazer de fazer isso em primeira instância com um livro o qual fui contemplado por um concurso literário, da conunidade do orkut Viciados em Livros.

O Máximo e as Máximas de Machado de Assis

Este é um livro bem abrangente quando se trata dos seus leitores, ele foi feito para ser apreciado tanto pelos fãs natos de Machado de Assis quanto para aqueles que não conhecem tanto sua obra.
É bom lembrar que a leitura deste livro não substitui a leitura das obras completas de Machado de Assis, porém, seu autor, Andrey do Amaral trata do assunto autor, vida e obra com muito carinho, como ele mesmo fala, estudar Machado de Assis sempre foi um prazer.

O livro é “orelhado” por Artur da Távola e prefaciado por Ubiratan Machado. No livro propriamente dito, o autor começa com uma breve, porém completa Biografia e há também uma cronologia histíórico-literária de Machado.

Chegamos então a parte que mais me agradou. Veja bem, Machado de Assis é tido como um escritor completo, começando com textos mais simples e chegando a obras geniais. Machado começou sua carreira como escritor com poemas e poesias, e apesar de jamais ter custeado um livro seu, seus primeiros textos não foram propagados com sucesso.
Algumas poesias são retratadas aqui, destas, a que me chamou mais a atenção foi “À Carolina”.

(…) Que eu, se tenho nos olhos malferidos
Pensamentos de vida formulados,
São pensamentos idos e vividos.

Depois do Machado poético e de ter escrito aluguns contos, encontramos o Machado dos romances e das novelas. Passeamos por “Ressurreição, de 1872, que foi seu primeiro romance, e, como o próprio Machado disse, não se importava com o que o público ou a crítica falassem sobre, pois era um ensaio.
Passamos então para Quincas Borba, Dom Casmurro e Memórias Póstumas – Acho que, por se tratar de uma leitura obrigatória em meu 1° ano do segundo grau, lá em 2003, apesar de ser considerado uma das grandes obras deste autor, lembro de não ter gostaro do livro na época.
Daí para Esaú e Jacó que seguem para o Memorial de Aires. Após isso, contos, crítica, crônicas e uma relação de filmes que foram inspirados na obra de Machado.

E entre tudo isso, temos as máximas de Machado de Assis, frazes, pensamentos, trechos incríveis.
Apesar do livro ter quase 400 páginas, a leitura não é pesada, e o livro tem um caráter didático, pode tranquilamente ser utilizado em sala de aula.
Este livro também tras um poema inédito em qualquer outro livro, além de trechos de cartas entre Machado e alguns de seus editores.

“Neste livro, Andrey do Amaral convence o leitor de que Machado de Assis não se restringe a leituras obrigatórias, e sim a momentos prazerosos de leitura e reflexão.

Bem, para quem leu toda a minha resenha, espero que tenham gostado. Agradeço pela leitura e agradeço também ao autor, Andrey do Amaral, que me enviou o livro autografado.

Ficha técnica:

Título: O Máximo e as Máximas de Machado de Assis
Autor: Andrey do Amaral
Editora: Ciência Moderna
Páginas: 361
ISBN: 978-85-7393-719-0

Livro recomendado!

Livro Clip / Book Trailer

2 comentários a “Resenha / Crítica Literária”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *