O Tempo

O relógio, tique-taque
E o tempo vai passando
Nossa vida se perdendo
O que estamos esperando?

Sendo escravos do trabalho
Trocando-se por ouro
Mas o que a gente perde
É nosso maior tesouro

Nossos bens são esquecidos, revendidos, destruídos
E o dinheiro gasto a toa, o mal uso, que abuso!

Mas o tempo não se compra
Não se volta
Ou rebobina

Não se acha em algum beco
Nem no prédio
Nem na esquina

Nosso tempo a gente faz
A gente vive
Não o perca!

Não seja mais uma ovelha
Liberte-se
Pule a cerca!

O relógio, tique-taque
E o tempo vai passando
Nossa vida se perdendo
O que você está esperando?

Felipe Daltoé

1 comentário a “O Tempo”

  1. Amei esse poema <3 Esse jeitinho de dizer, em forma de verso, deixa tudo mais lindo.
    Tique -tack, tique – taque …Não perca tempo! Continue escrevendo e encantando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *