Arquivo da Categoria: Sono

A Farsa Lúcida

Defronte este humor vítreo
É possível ver
Além de carne, osso e pele?
Translucida piada.
Fala com olhos irônicos
A observar as vidas todas
Ocas e pobres.
Apenas percebe
O que conhece,
Então responde:
O que há em cada um,
Além da carne, osso e pele?

Nada, digo-te.
Um espelho no vácuo,
Um semblante borrado,
E um desejo amargo.

Nada? Eu sei.
Só o morrer
De tempo,
Destino.

Vento

Tenho sono,
O sono de mil noites não dormidas,
Gastas sonhando acordado,
Num eterno rolar na cama.

Meus dragões me enlouquecem,
Seus venenos entram em meus ouvidos,
Rasgam minha personalidade,
Minha frágil consciência.

Cosmonauta eu sou,
Perdi minha nave num planeta azul,
E agora vago com remos em terra,
Em um voar pelo ar sem asas.

Minha verdade é mentira,
E o nada me persegue,
Queimando tudo a minha frente,
Para eu chegar soprando as cinzas.

PAblo Poetry