Arquivo da Categoria: Livros

O Aeronauta – Entre a Razão e a Loucura

     Carlos Conrado e seu Aeronauta adentram cada vez mais ao submundo da loucura e devaneios sem amarras, numa busca incessante por sonhos outrora aprisionados. 
     A loucura afasta-se ainda mais da razão, cabendo ao leitor subir a bordo da nave imaginação, desprender-se de conceitos pré estabelecidos, acomodar-se ao lado da razão como expectador de uma jornada a flor da pele, diante de inimigos, feras e sua própria duvida existencial, tendo o universo como pano de fundo, as estrelas ao alcance das mãos e o desejo insano de chegar cada vez mais fundo na libertação da mente humana. 
     Envolta a personagens, criaturas e criadores, sinto questionar minha própria sanidade, desejar não ser normal torna-se sinônimo de respirar o mais puro ar desse universo.
Sinopse por: Renata Rimet

Ficha técnica:

Clique AQUI e adquira seu exemplar pela Livraria Cosmonautas!

ISBN: 978-85-8097-073-9
Páginas: 132
Edição: 1°
Ano da publicação: 2012
Local de Edição: Marica
Editora: Ponto da Cultura Editora

Sobre o autor:

José Carlos Conrado da Silva nasceu em Jacobina/BA, em 02 de abril de 1986. Radicou-se em Sergipe no ano 2000. Escritor, Artista Plástico, Designer Gráfico, Ator, Editor e Jornalista DRT/SE 1791. É autor do livro POESIA CONDENADA – Editora Cogito, O Aeronauta Entre a Razão e a Loucura – Editora Ponto da Cultura, coautor do livro A KOMBI DE PROSA E POESIA em parceria com Valdeck Almeida de Jesus, Editora VirtualBooks. Tem textos publicados em diversas antologias. Entre os seus títulos, destacam-se:Supremo Chanceler da SOFIA – Sociedade Filosófica Ateniense; Embaixador da Paz em Aracaju pelo Círculo Universal da Paz – Orange/França – Genebra – Suíça; Membro Correspondente e Diretor de Comunicação e Web da ALB – Academia de Letras do Brasil/ Suíça; Membro Efetivo da ACB – Academia de Cultura da Bahia; Vice Presidente da Casa do Poeta Brasileiro de Aracaju; Cônsul do Movimento Poetas Del Mundo em Aracaju; Membro Imortal da Arcádia Literária – Patrono Dias Gomes; Membro da CAPPAZ – Confraria Artistas e Poetas pela Paz; Membro Eleito da Comissão Organizadora das Eleições Setoriais, Colegiado de Literatura da Bahia, (Funceb) agosto de 2012. Assessor do Projeto Alma Brasileira; Coordenador Geral do Jornal A Voz do CEPA –Círculo de Estudos, Pensamento e Ação; Sócio Honorário e Cofundador da AAPLASA – Associação dos Artistas Plásticos de Aracaju.
Site: http://www.carlosconrado.com

Resenha Conhece-te a ti Mesmo & Alma de Águia, Trama de Cordeiro

O autoconhecimento é uma busca de natureza ética. Uma busca de algo que leva o sujeito a ser mestre de si mesmo e, consequentemente, um ser humano melhor.
Neste livro, o leitor é convidado a refletir sobre questões profundas como comportamento, sonhos e paradoxos que, mesmo quando não percebemos, estão presente em cada dia de nossas vidas.
Aliado a essas reflexões, esta obra nos permite uma maior abertura psíquica sobre nós mesmos. Tudo isso com poemas e poesias translúcidas, psicodélicas e épicas.

-=-=-=-=—=-=-=-

Peças

Tambores ruindo,
O raio brilhante,
A órbita perfeita.

O desígnio virando pó,
O acaso renascendo…

As trevas sucumbindo
A aurora sendo invocada.

Ignorância é prelúdio de caos.
Paz é resultado de consciência…

Vivendo aos montes,
Morrendo aos poucos.

Bem vindos ao quebra cabeça da vida.

Guiomar Baccin

-=-=-=-=-=-=-=-=-====-=-=-=-=-=-=-=-=-=

O Princípio

Talvez eu não seja levada a sério.
Não que eu me abale por isso,
Eu apenas registro o que acredito.
E nossas crenças são mais do que religiosas.
Eu não pedi para ser personagem de sua história,
Eu gostaria de ser mais do que isso.
Busco ser autora de uma boa história da humanidade.
Nossos continentes, fronteiras, não nos separam.
E é nisso que eu acredito.
Não vou desistir do bem universal.
Mas o princípio é individual.

Samara Abdul

Ficha técnica:
Autores: Guiomar Baccin
Samara Abdul
ISBN:978-85-7869-192-9
Páginas: 96
Ano de publicação: 2009

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-===-=-=-=-=-=-=-==-

ALMA DE ÁGUIA, TRAMA DE CORDEIRO

 Sim, meu caro Rodrigo, “a vida promove a morte”, todos os dias, a todos os momentos e o contrário não deixa de ser também realidade: a morte promove a vida! Alguns ficam assustados, outros fazem tudo perder o sentido, outros ainda começam a atribuir sentido às coisas quando se dão conta da morte!
“Todas as compreensões já são tardias
É tempo de ação”.
Todos nós temos nosso tempo de espera. Tempo de iluminação, de espera e de ação. O autor não parece querer esperar muito e também não busca a compreensão, ou seja, o que ele sabe é suficiente para agir. O recado nos é passado de forma clara e objetiva: é tempo de ação! A revolta e a vontade de potência estão muito presentes nessa primeira parte do livro, é animador, é vivo!
Ainda nessa primeira parte, uma das poesias que mais me chamou a atenção foi “Dança da noite”. Não consegui identificar com precisão quem é o personagem, mas é de fácil entendimento (pelo menos o meu) que um ser acima dos mortais, um ser vil, está dialogando, ou monologando, como preferir, com um ser comum, um mero mortal e, para ele, ela será apresentada a morte, com uma justificativa muito convincente.
No começo da segunda parte está uma dialética do não contentamento, o tédio aparece como a morte dos que realmente vivem e não daqueles que estão apenas vivos. Esse descontentamento emerge como uma vertente para o novo passo, que é fazer algo.
“Poesia egoísta” não é tão egoísta assim. O poeta sabe que, ao findar seu escrito, esse não mais o pertence; pertence ao leitor. Ao mesmo tempo que o autor se entrega a poesia, também dá dicas para que essa não faça seu autor sofrer. Muito interessante essa parte!
Logo após a contemplação da vida, o saborear do dia a dia, da paz. Chama a atenção a constante mudança, de humor, do que importa. Fico com a impressão de que quem escreve vem vivendo por muito, muito tempo. O esforço vale a pena!
Como diz o autor, a obra é dividida em cinco parte e esse livro trás as duas primeiras. Certamente recomendo a leitura e esperarei ansiosamente as partes que ão devir (com o perdão do trocadilho).

Ficha técnica:
Livro: Alma de águia, trama de cordeiro
Autor: Rodrigo Luis Mingori
Editora: Medusa
Ano de publicação: 2012
ISBN: 978-85-64029-01-9

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-===-=-=-=-=-=-=-==-

Espero que tenham gostado das duas resenhas!

Alma de águia, trama de cordeiro

Bem, não sei se posso chamar isso de resenha, pois é realmente e somente minha opinião e visão sobre o livro.

ALMA DE ÁGUIA, TRAMA DE CORDEIRO
 Sim, meu caro Rodrigo, “a vida promove a morte”, todos os dias, a todos os momentos e o contrário não deixa de ser também realidade: a morte promove a vida! Alguns ficam assustados, outros fazem tudo perder o sentido, outros ainda começam a atribuir sentido às coisas quando se dão conta da morte!
Todas as compreensões já são tardias
É tempo de ação”.

Todos nós temos nosso tempo de espera. Tempo de iluminação, de espera e de ação. O autor não parece querer esperar muito e também não busca a compreensão, ou seja, o que ele sabe é suficiente para agir. O recado nos é passado de forma clara e objetiva: é tempo de ação! A revolta e a vontade de potência estão muito presentes nessa primeira parte do livro, é animador, é vivo!
Ainda nessa primeira parte, uma das poesias que mais me chamou a atenção foi “Dança da noite”. Não consegui identificar com precisão quem é o personagem, mas é de fácil entendimento (pelo menos o meu) que um ser acima dos mortais, um ser vil, está dialogando, ou monologando, como preferir, com um ser comum, um mero mortal e, para ele, ela será apresentada a morte, com uma justificativa muito convincente.
No começo da segunda parte está uma dialética do não contentamento, o tédio aparece como a morte dos que realmente vivem e não daqueles que estão apenas vivos. Esse descontentamento emerge como uma vertente para o novo passo, que é fazer algo.
Poesia egoísta”não é tão egoísta assim. O poeta sabe que, ao findar seu escrito, esse não mais o pertence; pertence ao leitor. Ao mesmo tempo que o autor se entrega a poesia, também dá dicas para que essa não faça seu autor sofrer. Muito interessante essa parte!
Logo após a contemplação da vida, o saborear do dia a dia, da paz. Chama a atenção a constante mudança, de humor, do que importa. Fico com a impressão de que quem escreve vem vivendo por muito, muito tempo. O esforço vale a pena!
Como diz o autor, a obra é dividida em cinco parte e esse livro trás as duas primeiras. Certamente recomendo a leitura e esperarei ansiosamente as partes que ão devir (com o perdão do trocadilho).
Ficha técnica:
Livro: Alma de águia, trama de cordeiro
Autor: Rodrigo Luis Mingori
Editora: Medusa
Ano de publicação: 2012
ISBN: 978-85-64029-01-9

Facebook para contato com o autor: http://www.facebook.com/rodrigoluis.mingori

Por que eu sou um destino

“Eu conheço meu fado. Um dia haverão de unir ao meu nome a lembrança de algo monstruoso – uma crise como jamais houve outra na Terra, na mais profunda colisão de consciência, em uma decisão evocada contra tudo aquilo que até então havia sido acreditado, reivindicado, santificado… Eu não sou homem, eu sou dinamite. – E com tudo isso não há nada em mim que me torne o fundador de uma religião; religiões são negócios do populacho e eu sempre tive a necessidade de lavar minhas mãos ao entrar em contato com pessoas religiosas… Eu não quero “crentes”, eu penso que eu mesmo sou demasiado mau para acreditar em mim mesmo; no mais jamais invoquei as massas… Eu tenho um medo terrível de um dia ser declarado santo: e até por isso hão de adivinhar porque escrevi este livro antes; ele foi feito para evitar que se cometam disparates em relação a mim. Eu não quero ser um santo, eu prefiro ser um maganão… Talvez eu seja um maganão… E apesar disso ou, muito antes, não apesar disso – pois até hoje não houve nada mais mentiroso do que os santos -, a verdade fala através de mim… Mas minha verdade é terrível: pois até hoje a mentira é que foi chamada de verdade… Transvaloração de todos os valores: esta é a minha fórmula para um ato supremo da autoconscientização da humanidade, que se tornou gênio e carne dentro de mim. Meu fado quer se eu seja o primeiro homem decente, que eu me saiba a antítese contra a mentira de milênios… Só eu é que descobri a verdade, pelo fato de eu ter sido o primeiro a sentir – a farejar – que a mentira era mentira… Meu gênio está em minhas narinas… Eu contradigo conforme jamais foi contradito e ainda assim sou a antítese de um espírito negador. Eu sou um mensageiro alegre, conforme jamais existiu outro, eu conheço tarefas de uma altura para a qual inclusive faltou um conceito até agora; só a partir de mim é que voltaram a existir esperanças… E com tudo isso sou também, necessariamente, o homem da fatalidade. Pois se a verdade entra em luta com a mentira de milênios, haveremos de ter abalos tremendos, uma convulsão de terremotos, uma transposição de montanhas e vales, conforme jamais sequer foi sonhada. O conceito política, então, estará completamente envolvido em uma guerra de espíritos, todas as imagens de poder da velha sociedade explodirão no ar – todas elas descansam sobre a mentira: haverá guerras conforme jamais as houve sobre a terra. Só a partir de mim é que há na terra grande política*…”.
(NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. (2003). Ecce Homo. 1ª edição, L&PM Pocket. Floresta – RS.
*Com esse conceito Nietzsche chama a atenção para a “guerra espiritual”, o conflito final e decisivo, que dessa vez não ocorrerá entre povos, Estados ou religiões, mas sim entre as naturezas fracas e décadents, de um lado, e as naturezas fortes, as vidas-que-deram-certo, de outro. E preparar essa “grande política” era a tarefa do Ecce homo. (N. do T.).

Sorteio – A Luz do Sul – Osvaldo Junior


Olá amigos e amigas da Poesia. Hoje, mais uma vez, o amor toma conta do blog Cosmonautas.

Primeiramente quero agradecer aos leitores, parceiros e amigos que leram e comentaram na resenha do livro A Luz do Sul, pois esses comentários proporcionaram a possibilidade de realizarmos a promoção a seguir:


Primeiramente, leia a resenha do livro AQUI

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=

Para participar do sorteio basta seguir algumas regrinhas simples:
01 – Você deve seguir o Blog Grupo Cosmonautas publicamente. (Você pode usar sua conta do google, twitter ou yahoo!)
02 – Deixar o seguinte comentário nesse post: “Quero amor, poesia e luz na minha vida.
Obs.: Comentar apenas na primeira participação.
03 – Preencher o formulário AQUI
Pronto! Seguindo estes passos você já está concorrendo ao exemplar de “A Luz do Sul” !

Lembrando que você terá o dobro de chances de ganhar!  Serão DOIS EXEMPLARES SORTEADOS, portanto, duas pessoas serão contempladas.

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=

Quer ter mais chances de ser sorteado?

04 – Se você tiver uma conta no twitter, siga @Cosmonautas e ganhe mais um número para o sorteio. (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

05 – Se você tiver uma conta no twitter, siga @junoescritor e ganhe mais um número para o sorteio. (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

06 – Entrando na comunidade “Cosmonautas” no orkut você ganha mais um número para o sorteio! (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

07 – Quem divulgar no Twitter ganha outro número – basta deixar o link da divulgação no formulário, preenchendo uma vez mais AQUI

Frase a ser divulgada:

RT: #sorteio @Cosmonautas + @junoescritor Sorteiam DOIS exemplares do livro “A Luz do Sul” – Eu quero o meu! (http://migre.me/1EXgH)

Pessoal, apenas lembrando: Para evitar spam, a frase pode ser tuitada ou retuitada a cada 2 horas, ok?

As inscrições podem ser feitas a partir de hoje (20/10), até domingo (31/10) a meia noite. O sorteio será efetuado pelo site RANDOM.ORG – e o resultado postado no blog, na segunda, dia 01 de Novembro.
O ganhador ou ganhadora terá 03 (três) dias para responder o email e enviar seu endereço. Caso não houver resposta em três dias, o sorteio será efetuado novamente.

BOA SORTE!
.

A Luz do Sul

Poemas e pensamentos de amor

Durante esta resenha, como de costume, citarei alguns trechos do livro do autor, que é para o leitor poder ter uma ideia do estilo de escrita, porém, quero começar levantando uma questão:
– Por que será que dia após dia vemos mais conflitos? Alguns perto, outros longe, e até mais do que isso, algumas vezes nos vemos no meio do conflito. Por que vemos cada vez mais indiferença? Desconfiança, traição, inimizades…
– Será que não nos está faltando plantar, cultivar e colher mais amor? Digo de um modo geral, começando por cada pessoa, passando pelas instituições e seus poderosos chefãos…

Sinceramente, não apenas acredito como também vejo que falta amor no mundo – algumas pessoas simplesmente não o deixam entrar.
Mas não me atrevo a dizer que o amor acabou, também não me farei de cego e digo que vejo muito amor em certas pessoas e em certos lugares. E é bom ver o amor vivo, é bom ver sentimentos sendo transformados em ações, porque é isso que o amor faz, move o mundo.

Nesse intuíto, de plantar, cultivar e colher mais amor que estou aqui hoje, com alegria para levar até vocês uma palavra de amor. Hoje falarei sobre a obra do escritor Osvaldo Junior Pansera Waczuk, “A Luz do Sul“.
.

O amor não é jogo de azar, mas se deve jogar e ariscar todas as cartas para encontrar a dama perfeita que completará todas as apostas.”

Lendo esta obra pode-se perceber a visão longínqua de seu autor. Osvaldo Junior largou a medicina para trabalhar como escritor e recusou convites de morar no exterior para poder incentivar e ajudar as pessoas da terra onde nasceu e cresceu (Rio Grande do Sul, Brasil).

Nada é feito somente de lógica, consequências e acasos. Aquele que não presta atenção, perde o espetáculo dos sentidos”.

Como o próprio autor fala, o formato do livro é despojado, com  ilustrações e poemas sem títulos ou limitações, alguns são pensamentos soltos traduzidos em palavras, enquanto outros são verdadeiras histórias de amor.

A leitura é agradável, fluída, convidativa e reflexiva.

Um pouco sobre o autor: Escritor desde a infância, Osvaldo Junior, hoje com 24 anos, nasceu em Erechim e foi criado em uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul, aprendeu desde cedo o valor de cada pequeno detalhe das coisas simples da vida.

O autor não sofreu influência de nenhum gênero literário, apenas possui um dom natural para expressar seus sentimentos, inspirando-se em sua imaginação ilimitada e sensibilidade, faz com que as pessoas descubram um novo caminho e passem a ver a vida sob outro ponto de vista.

Éramos jovens e não sabíamos de nada, perdidos na vastidão dos desejos por longos beijos descobríamos do que era feito o amor, como se a cada passo fosse uma caminhada perfeita ao paraíso dos sonhos, lindos momentos de glória sentindo a pele arrepiar em meio à escuridão de lua cheia aproveitando cada segundo, fazendo valer a intensidade de cada carícia, duas peles colocadas esbanjando hormônios. Na pureza de nossos sonhos esquecíamos completamente da vida nos entregando a uma ardente e louca paixão.”

Bom pessoal, este livro realmente é uma injeção de ânimo, leitura perfeita para antes de dormir, para ficar tranquilo ou ao acordar para começar muito bem o seu dia.

E agora, para o nosso dia ficar ainda mais feliz, vamos fazer um trato? Quando chegarmos a 20 comentários nesta resenha, colocarei no ar a promoção sorteando não apenas um, mas DOIS EXEMPLARES deste livro! Ok?

Um abraço e muito amor a todos!

(Conheça um pouco mais sobre o autor clicando em “Mais informações” logo abaixo)

Sorteio – A cada três segundos – autografado por Michele Farran!

Olá a todos os amantes da poesia brasileira! É com imenso prazer e orgulho que anuncio a primeira promoção do blog Cosmonautas – Em parceria com a autora Michele Farran.

Primeiramente, leia a resenha do livro AQUI

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=

Para participar do sorteio basta seguir algumas regrinhas simples:
01 – Você deve seguir o Blog Grupo Cosmonautas publicamente. (Você pode usar sua conta do google, twitter ou yahoo!)
02 – Deixar o seguinte comentário nesse post: “O mundo muda a cada três segundos
Obs.: Comentar apenas na primeira participação.
03 – Preencher o formulário AQUI
Pronto! Seguindo estes passos você já está concorrendo ao exemplar de “A cada três segundos” !

-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-==-=-=

Quer ter mais chances de ser sorteado?

04 – Se você tiver uma conta no twitter, siga @Cosmonautas e ganhe mais um número para o sorteio. (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

05 – Se você tiver uma conta no twitter, siga @michelefarran e ganhe mais um número para o sorteio. (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

06 – Entrando na comunidade “Cosmonautas” no orkut você ganha mais um número para o sorteio! (Preenchendo mais uma vez o formulário AQUI)

07 – Quem divulgar no Twitter ganha outro número – basta deixar o link da divulgação no formulário, preenchendo uma vez mais AQUI

Frase a ser divulgada:

RT: #sorteio Eu quero o livro “A cada três segundos” que o Blog @Cosmonautas + @michelefarran estão sorteando! (http://migre.me/1rv7W)

Pessoal, apenas lembrando: Para evitar spam, a frase pode ser tuitada ou retuitada a cada 2 horas, ok?

As inscrições podem ser feitas a partir de hoje (30/09), até domingo (10/10) a meia noite. O sorteio será efetuado pelo site RANDOM.ORG – e o resultado postado no blog, na segunda, dia 11 de Outubro.
O ganhador ou ganhadora terá 03 (três) dias para responder o email e enviar seu endereço. Caso não houver resposta em três dias, o sorteio será efetuado novamente.

BOA SORTE!

A cada três segundos

Cada novo segundo que se passa é uma oportunidade para se mudar o que se é. E a cada três segundos pode-se dar forma a um novo sentimento e transmiti-lo.

Nas ruas de uma metrópole, pode-se ver tantas facetas, quanto na mente de uma jovem, e quando os dois se juntam pode-se trazer à vida uma sensibilidade pouco conhecida de uma geração mergulhada em tecnologia.

Passando por sensações de abandono à alegria das antigas amizades, A cada três segundos é uma exposição do coração dos jovens do século XXI aos jovens do século XXI.”
.

Confeccionado com base em experiências vividas, este livro torna-se interessante pelo fator mudança.
Sem um tema central ou específico, Michele Farran nos proporciona uma visão fantástica da transformação, da capacidade de metamorfose que todos nós, sabendo ou não, carregamos de alguma forma.

São contos, poemas e poesias com uma linguagem moderna, porém simples, pura e intensa. Alguns poemas estão em inglês, mas não se preocupe, se seu inglês não for muito bom, sempre pode-se recorrer ao bom e velho dicionário ou até mesmo a ferramenta de tradução do google.

A poesia, uma vez muito sincera e vívida, torna-se de fácil entendimento.

Em um mundo conturbado e uma época mais conturbada ainda, nem tudo são flores e alguma revolta também é agregada a este livro. Assim como algumas críticas. à como nosso meio social é conduzido. As demonstrações de amor também chamam a atenção.

Porém, o que me deixou mais marcado em relação a este livro foi a intensidade dos sentimentos externados nas poesias.

Tau

Se você pudesse pegar um momento da sua vida e colocar dentro de uma redoma de vidro.
Se você pudesse manter esse momento intacto, intocado, imaculado.
Se você pudesse guardar junto todas as suas emoções, todos seus melhores pensamentos.
Que momento você escolheria? Que emoções?

Se você pudesse escolher uma pessoa para guardar na memória para sempre.
Se você pudesse escolher um sorriso para sentir e lembrar para sempre.
Quem você escolheria? Qual você escolheria?

A vida pode acontecer em 100 anos. Ou 10 minutos.
Parece uma eternidade, mas quando chega ao fim, pareceu tão rápido.
Não há tempo para escolher, não redoma para imortalizar, não há o caminho perfeito para percorrer.

Existem mais de 200 pessoas na sua vida por quem você poderia se apaixonar.
Mas de tudo isso, você só precisa de uma.

Existem mais de mil maneiras de viver
Mas você só precisa de uma, a sua.

Michele Farran

Ficha técnica:

Título: A cada três segundos
Autor: Michele Farran
Editora: Livro Pronto
Páginas: 67
ISBN: 978-85-7869-094-6


Gostou da resenha? Comente! Quando a resenha chegar a 10 comentários colocarei no ar a promoção, com sorteio de 1 exemplar deste livro!

Memorial do Inferno

Livro autobiográfico, onde Valdeck nos conta a história de um Baiano no interior, com família que não tinha renda para sustentar oito filhos, além dos pais, morando de aluguel, sem móveis, sem água encanada nem luz elétrica e que pelo grande amor de sua mãe, Paula Almeida de Jesus, a família permaneceu unida até que cada um dos filhos pudesse sobreviver por si só.

Valdeck começa nos contando sobre sua infância; comenta sobre um episódio onde aconteceu sua “quase” primeira relação sexual, primeira namorada, evolução nos estudos, e já nessa época como conheceu e gostou daquele jeito de escrever que chamava “poesia”.

Também são retratadas todas as dificuldades que já o aguardavam ali, desde o momento em que veio ao mundo. Na minha visão, desde criança Valdeck já se destacava, e acredito que um dos principais motivos para isso foi justamente a capacidade de adaptação que encontrou e desenvolveu durante sua infância e primeiros anos de adolescência.

Sempre tendo que “correr atrás” aprendeu a dar o devido valor a cada coisa.

A leitura desta obra não é nada cansativa, pelo contrário, me fez gargalhar algumas vezes, como na parte em que Valdeck nos conta como caiu em uma brincadeira de um amigo, durante uma das procissões que a mãe adorava ir. Um menino lhe deu uma vara para segurar, quando segurou firme, seu “amigo” puxou a vara que escorregou por seus dedos deixando sua mão toda suja de bosta.

Valdeck segue retratando muito bem a vida na Bahia naquela época. O tempo vai passando e o autor vai relatando suas conquistas. Entre elas, moradias e seu primeiro carro. Com ele, as viagens, todas interessantes e recheadas de detalhes. Entre os que eu mais gostei, está o relato de Valdeck sobre ter avistado um disco voador na estrada de Santa Inês.
Ainda na parte de viagens, temos relatos de viagens à São Paulo, Jequié, Salvador, Nova York, Madrid, Porto Alegre, Venezuela e Cuba.

Para concluir, uma sessão de histórias bizarras. E são bizarras mesmo!

Este livro não apenas narra com detalhes uma história de superação de obstáculos durante toda uma vida – tendo como principal inimigo a dificuldade financeira – como também mostra que sorte é quando a força de vontade encontra mais força de vontade.

Uma das principais mensagens que tirei deste livro foi que, por piores que sejam as condições onde uma pessoa vive e como ela vive, ainda assim, com muito esforço e força de vontade, é possível seguir em frente, sem nunca desistir, ser ajudado e ajudar da melhor forma possível.
Todos nós temos uma imensa capacidade, uns usam, outros não. E, mais importante que isso, qualquer pessoa, independente de cor, credo ou classe social, DEVE sonhar, para então sim poder realizar.

Esse trecho é do começo do livro:

“(…)eu, com meus seis ou sete anos de idade, viajava no ônibus com minha mãe, e um passageiro, sentado no banco de trás, começou a brincar comigo. Como eu não respondia nem participava da brincadeira, o homem protestou dizendo que eu era muito enfezado e que tinha a cara fechada. Hoje, ao lembrar desta cena, percebo o quanto mudei. Atualmente sou um sujeito brincalhão que tenta sempre se manter alegre e tirar uma boa lição de tudo o que a vida possa oferecer, seja de bom ou de ruim.”

Neste livro podemos perceber o quanto é importante a postura que cada um de nós apresenta perante a vida e o que cada um faz a partir disso.

Parabéns ao amigo Valdeck por mais esta obra!
Livro recomendado!
.
Guiomar Baccin
.

Resenha / Crítica Literária

Olá aos leitores do nosso humilde blog. É com prazer que estréio minhas resenhas e críticas literárias. E tenho o prazer de fazer isso em primeira instância com um livro o qual fui contemplado por um concurso literário, da conunidade do orkut Viciados em Livros.

O Máximo e as Máximas de Machado de Assis

Este é um livro bem abrangente quando se trata dos seus leitores, ele foi feito para ser apreciado tanto pelos fãs natos de Machado de Assis quanto para aqueles que não conhecem tanto sua obra.
É bom lembrar que a leitura deste livro não substitui a leitura das obras completas de Machado de Assis, porém, seu autor, Andrey do Amaral trata do assunto autor, vida e obra com muito carinho, como ele mesmo fala, estudar Machado de Assis sempre foi um prazer.

O livro é “orelhado” por Artur da Távola e prefaciado por Ubiratan Machado. No livro propriamente dito, o autor começa com uma breve, porém completa Biografia e há também uma cronologia histíórico-literária de Machado.

Chegamos então a parte que mais me agradou. Veja bem, Machado de Assis é tido como um escritor completo, começando com textos mais simples e chegando a obras geniais. Machado começou sua carreira como escritor com poemas e poesias, e apesar de jamais ter custeado um livro seu, seus primeiros textos não foram propagados com sucesso.
Algumas poesias são retratadas aqui, destas, a que me chamou mais a atenção foi “À Carolina”.

(…) Que eu, se tenho nos olhos malferidos
Pensamentos de vida formulados,
São pensamentos idos e vividos.

Depois do Machado poético e de ter escrito aluguns contos, encontramos o Machado dos romances e das novelas. Passeamos por “Ressurreição, de 1872, que foi seu primeiro romance, e, como o próprio Machado disse, não se importava com o que o público ou a crítica falassem sobre, pois era um ensaio.
Passamos então para Quincas Borba, Dom Casmurro e Memórias Póstumas – Acho que, por se tratar de uma leitura obrigatória em meu 1° ano do segundo grau, lá em 2003, apesar de ser considerado uma das grandes obras deste autor, lembro de não ter gostaro do livro na época.
Daí para Esaú e Jacó que seguem para o Memorial de Aires. Após isso, contos, crítica, crônicas e uma relação de filmes que foram inspirados na obra de Machado.

E entre tudo isso, temos as máximas de Machado de Assis, frazes, pensamentos, trechos incríveis.
Apesar do livro ter quase 400 páginas, a leitura não é pesada, e o livro tem um caráter didático, pode tranquilamente ser utilizado em sala de aula.
Este livro também tras um poema inédito em qualquer outro livro, além de trechos de cartas entre Machado e alguns de seus editores.

“Neste livro, Andrey do Amaral convence o leitor de que Machado de Assis não se restringe a leituras obrigatórias, e sim a momentos prazerosos de leitura e reflexão.

Bem, para quem leu toda a minha resenha, espero que tenham gostado. Agradeço pela leitura e agradeço também ao autor, Andrey do Amaral, que me enviou o livro autografado.

Ficha técnica:

Título: O Máximo e as Máximas de Machado de Assis
Autor: Andrey do Amaral
Editora: Ciência Moderna
Páginas: 361
ISBN: 978-85-7393-719-0

Livro recomendado!

Livro Clip / Book Trailer