Arquivo da Categoria: Filmes

Fahrenheit 451

Fahrenheit 451 é a adaptação cinematográfica do romance homônimo de Ray Bradbury, dirigida por Francois Truffaut em 1966. A trilha sonora é de Bernard Herrmann (compositor favorito de Alfred Hitchoc), e a direção de fotografia é de Nicolas Roeg.

Sinopse

Num futuro hipotético, os livros e toda forma de escrita são proibidos por um regime totalitário, sob o argumento de que fazem as pessoas infelizes e improdutivas.

Se alguém é flagrado lendo é preso e “reeducado”. Se uma casa tem muitos livros e um vizinho denuncia, os “bombeiros” são chamados para incendiá-la. Montag é um desses bombeiros. Chamado para agir numa casa “condenada”, ele começa a furtar livros para ler. Seu comportamento começa a mudar, até que sua mulher, Linda, desconfia e o denuncia. Enquanto isso, ele mantém amizade com Clarisse, uma mulher que conhecera no metrô.

Ela o incentiva e, quando ele começa a ser perseguido (e morto, segundo a versão televisiva oficial), ela o leva à terra dos homens-livro, uma comunidade formada por pessoas que memorizavam seus livros e também eram perseguidas. Essas pessoas decoravam os livros, para publicá-los quando não fossem mais proibidos, e os destruíam.

Walk the Line

Galera, aqui vai uma dica de filme. Realmente vale a pena assistir. Além do som muito bom, os atores ainda matam a charada!

Walk the Line (Johnny and June)

Elenco
Joaquin Phoenix, Reese Witherspoon, Ginnifer Goodwin, Robert Patrick, Shelby Lynne, Dan Beene, Larry Bagby, Lucas Till, Ridge Canipe, Hailey Anne Nelson.
Sinopse
Em 1955, um guitarrista magro e arredio que chamava a si mesmo de J.R. Cash entrou naquele que logo seria o famoso Sun Studios, em Memphis. E foi um momento que deixara marcas profundas na cultura americana. Com a fúria de seus acordes na violão, uma intensidade de aço e uma voz tão profunda como a noite, Cash cantava canções sobre dores de amores e sobrevivência que eram cheias de energia, cheias de vida, e algo nunca ouvido antes.
Aquele dia deu início a eletrizante carreira de Johnny Cash. Como pioneiro de um som hipnótico e original que abriria o caminho para as futuras estrelas do rock, country, punk, folk e do rap, Cash começou também sua agitada transformação pessoal. No período mais volátil de sua vida, ele passou de um destrutivo pop star ao famoso ícone representado pelo “Homem de Preto”, enfrentando seus próprios demônios, lutando pelo amor que o reabilitaria e aprendendo a andar sobre o fio da navalha que separa a redenção da destruição.
Curiosidades
O filme é produzido por Cathy Konrad (Citizen Ruth, Beautiful Girls, Scream, Cop Land, Girl Interrupted, Identidade) e James Keach (The Stars Fell on Henrietta), e foi desenvolvido durante sete anos com a colaboração conjunta de Johnny Cash e June Carter Cash antes de suas mortes em 2003
Premiações
Reese Witherspoon ganhou melhor atriz Comédia- Musical no Globo de Ouro.
Joaquin Phoenix ganhou melhor ator Comédia – Muiscal Globo de Ouro


..

Enjoy!

A Fita Branca

  Título Original:

                                                       
Sinopse:
A história do filme passa num vilarejo protestante no norte da Alemanha, em 1913, às vésperas da Primeira Guerra Mundial. Conta a história de crianças e adolescentes de um coral dirigido pelo professor primário do vilarejo e suas famílias: o barão, o reitor, o pastor, o médico, a parteira, os camponeses. Estranhos acidentes começam a acontecer e tomam aos poucos o caráter de um ritual punitivo. Misterioso e intrigante. O que se esconde por trás desses acontecimentos?
FICHA TÉCNICA:
Diretor: Michael Haneke
Elenco: Christian Friedel, Ernst Jacobi, Leonie Benesch, Ulrich Tukur, Ursina Lardi, Burghart Klaußner, Steffi Kühnert, Josef Bierbichler
Produção: Michael Katz
Roteiro: Michael Haneke
Fotografia: Christian Berger
Duração: 144 min.
Ano: 2009
País: Alemanha/Áustria/França/Itália
Gênero: Drama
Cor: Preto e Branco
Classificação: 16 anos
Nota final: um filme muito inteligente e intrigante. Já assisti duas vezes e mesmo assim ele deixa dúvidas sobre sua verdadeira face. Revelador, ele conta o dia-a-dia e os costumes de um pequeno povoado. Abuso sexual presente, assim como enfoque na educação e religião e o tempo todo ele coloca em dúvida a inocência presente no nosso intimo.

Na Natureza Selvagem


Um filme instigante, inspirador, provoca sentimentos, sensações, desejos. A busca pela liberdade plena, sentir-se livre. Recomendo a todos que ainda não assistiram que vejam este belíssimo filme baseado em uma história real.


“Eu vou parafrasear Thoreau aqui… mais que amor, que dinheiro, que fé, que fama, que equidade… dê-me a verdade.” (Christopher McCandless)


Sinopse: Depois de se graduar na Universidade de Emory em 1992, Christopher McCandless (Hirsch), estudante de topo e atleta, abandona as suas posses, oferecendo as suas poupanças de 24 mil dólares à caridade, para ir viver para o Alasca. Ao longo do seu caminho, Christopher encontra uma série de personagens que dão forma e sentido à sua vida. Baseado numa história verídica e no bestselling literário de Jon Krakauer.

Título original: Into the Wild

Direção: Sean Penn.
Roteiro: Sean Penn adaptando livro de Jon Krakauer.
Elenco: Emile Hirsch, Marcia Gay Harden, William Hurt, Jena Malone, Catherine Keener, Vince Vaughn, Kristen Stewart, Hal Holbrook.
Ano: 2007 (EUA) / 2008 (BRA).
Gênero: Biografia, Drama.
Tempo: 140 min.


Trailer: http://www.youtube.com/watch?v=0YBDpPIhEYo

Espero que gostem da dica!

O Cheiro do Ralo

Bom, primeiramente não estou aqui para postar lançamentos de filmes, e sim dar dicas de filmes que realmente valem a pena assistir, sejam eles atuais ou dos anos 60. Então, aqui vai mais uma dica de filme:

O Cheiro do Ralo

Lourenço (Selton Mello) é o dono de uma loja que compra objetos usados. Aos poucos ele desenvolve um jogo com seus clientes, trocando a frieza pelo prazer que sente ao explorá-los, já que sempre estão em sérias dificuldades financeiras. Ao mesmo tempo Lourenço passa a ver as pessoas como se estivessem à venda, identificando-as através de uma característica ou um objeto que lhe é oferecido. Incomodado com o permanente e fedorento cheiro do ralo que existe em sua loja, Lourenço vê seu mundo ruir quando é obrigado a se relacionar com uma das pessoas que julgava controlar.

Um filme com uma psicologia muito forte, em partes muito engraçado:

– Você gosta?
– Do que?
– Do cheiro da bosta!

Elenco:

Selton Mello (Lourenço)
Paula Braun (Garçonete)
Lourenço Mutarelli (Segurança)
Flávio Bauraqui (Homem da caixa de música)
Fabiana Guglielmetti (Noiva)
Sílvia Lourenço (Viciada)
Martha Meola (Secretária)
Suzana Alves (Apresentadora de vídeo de ginástica)
Paulo Alves (PM)
Negro Rico (PM)
Gustavo Trestini (Tenente)
Roberto Audio (Homem da flauta)
Boi (Mendigo)
Alice Braga (Garçonete)
Tobias Vai Vai (Caixa da lanchonete)
Mário Shoemberger (Homem do relógio)
Calico (Homem da perna)
Jorge Cerruti (Homem do olho de vidro)
Milhem Cortaz (Encanador)
Hossein Minussi (Encanador)
Álvaro Muniz (Encanador)

Curiosidades:

– Orçado originalmente em R$ 2,5 milhões, O Cheiro do Ralo foi realizado com apenas R$ 315 mil, reunidos entre sócios privados e pelos produtores executivos.

– Este é o 2º filme em que o diretor Heitor Dhalia e o ator Selton Mello trabalham juntos. O anterior foi Nina (2004).

– Exibido na mostra Première Brasil, no Festival do Rio 2006.

Bom filme a todos!
.

Gênio Imortal – Mozart

Queridos, quero aproveitar minha vinda para o Blog e deixar a dica do filme mais interessante, musical e intenso que assisti nos últimos meses. Trata-se de AMADEUS. Conta a história de (Wolfgang Amadeus Mozart / 1756-1791) um dos maiores gênios da música erudita de todos os tempos. O ator Tom Hulce que interpreta Mozart arrasa no papel, mas F. Murray Abraham rouba a cena como o majestoso compositor italiano Salieri. Quem já assistiu, repita a dose que vale a pena…

SINOPSE: O filme se inicia em 1823, quando Salieri, já velho, tenta cometer suicídio, cortando sua garganta enquanto grita por perdão, por ter matado Mozart, há muito já falecido. Após ser internado num hospício, é visitado por um jovem padre, que procura obter a sua confissão. Salieri está amargo e pouco interessado; porém eventualmente fica à vontade com o padre e inicia uma longa “confissão” sobre seu relacionamento com Mozart. As cenas deste diálogo voltam, ao longo do filme, como se a trama estivesse sendo narrada por Salieri para o padre, durante toda uma noite, até o início da manhã seguinte.

ELENCO PRINCIPAL:
F. Murray Abraham: Antonio Salieri
Tom Hulce: Wolfgang Amadeus Mozart
Elizabeth Berridge: Constanze Mozart
Simon Callow: Emanuel Schikanaeder
Roy Dotrice: Leopold Mozart
Christine Ebersole: Catherina Cavalieri
Jeffrey Jones: Imperador José II
Charles Kay: conde de Orsini-Rosenberg
Barbara Bryne: Sra. Weber
Martin Cavani: jovem Salieri
Roderick Cook: conde Von Struck

PRÊMIOS: 8 Orcars, 4 Globos de Ouro, 4 Baftas e 1 César.

A Encruzilhada

Pessoal, aqui vai uma dica de filme; um dos melhores que eu já assisti sobre música!

Jovem e talentoso guitarrista (Ralph Macchio) está à procura de uma canção que o leve ao estrelato.
Inspirado por um velho bluesman (Joe Seneca), ele o acompanha numa viagem até a legendária encruzilhada onde o veterano um dia negociou com o demônio sua alma em troca da fama.
De longe, o melhor filme de Macchio (que ele fez entre o primeiro e segundo ‘‘Karatê Kid‘‘).

Brilhante trilha sonora produzida e interpretada pelo guitarrista Ry Cooder – na famosa cena do duelo de blues, reza a lenda que Steve Vai é quem toca as duas partes da canção ‘‘Eugene‘s Trick Bag‘‘, uma releitura da clássica peça ‘‘Caprice #5‘‘, de Niccolo Paganini.

Paganini, aliás, perpetuou o mito de que ele mesmo vendeu sua alma ao demônio para conquistar habilidade musical. Ainda que o som que se ouve da guitarra não tenha saído dos dedos de Ralph Macchio, o ator realmente toca todas as notas de Steve Vai e Ry Cooder, reproduzindo fielmente cada acorde.

Título original: Crossroads

Título traduzido: A Encruzilhada

Gênero: Drama

Duração: 1h 38 min

Ano: 1986


.

O segredo do Abismo

Bem pessoal, aqui vai mais uma dica de filme super interessante:

O Segredo do Abismo
Sinopse:  Uma equipe de uma platorma civil de exploração de petróleo se vê repentinamente com a missão de tentar resgatar o USS Montana, um submarino nuclear que afundou misteriosamente com 156 tripulantes e, após o ocorrido, não houve mais contato. A plataforma é usada para a “Operação Salvo”, a operação de resgate que visa resgatar a tripulação do Montana, pois apesar de saberem onde está o submarino um furacão se aproxima e, assim, a Marinha não terá tempo hábil de chegar ao local. Com isso, a equipe da plataforma se torna a melhor opção para realizar o salvamento, ficando acertado que o tenente Coffey (Michael Biehn) supervisionará as operações. Entretanto, Bud Brigman (Ed Harris), um mergulhador que chefia a plataforma, diz à operação que acaba de pressentir que sua equipe corre perigo, mas Brigman não poderia imaginar que iria se deparar com algo totalmente surpreendente.
Título Original: The Abyss
Título Traduzido: O Segredo do Abismo
Gênero: Ação|Ficção|Científica|Suspense
Duração: 2h e 43 min
Ano: 1989
Direção: James Cameron 
Minha visão sobre o filme:
“O Segredo do Abismo” é um ótimo filme, um verdadeiro épico submarino, repleto de perigo e magia. Escrito e dirigido por James Cameron, o filme marca o início das superproduções com imagens geradas por computador.

A história se passa durante o período da Guerra Fria, apresentando personagens interessantes, relacionamentos complicados e incríveis batalhas submarinas. Como na maioria dos filmes de ficção científica, o destino da raça humana depende das ações de um pequeno grupo de heróis.

Além do magnífico trabalho de Cameron, “O Segredo do Abismo” apresenta várias seqüências com efeitos especiais espetaculares, uma belíssima fotografia submarina e ótimas atuações, principalmente dos dois principais líderes. Ed Harris e Mary Elizabeth Mastrantonio confirmam ser dois atores excepcionais, ao passarem para o expectador uma grande dose de realismo nas cenas em que aparecem.

Enfim, “O Segredo do Abismo” é, sem dúvida, um clássico de seu gênero.

Premiações  Academia de Hollywood – Oscar de Melhores Efeitos Visuais
Enfim, realmente vale a pena ver este filme!

Enjoy!