Encuentros imaginarios

En encuentros imaginarios
Te veo en medio a la multitud
Planeo mis palabras ensayadas
Salgo a tropezar en mi inquietud

En una soledad ansiosa y callada
Con invencible deseo de niña
Vivo de toda sorte, aislada
A buscarte como ave de rapiña

Sin ti, mi memoria es una luz
Que alumbra un ricón sombrío
Hecho ojos paganos de un andaluz
Desenganado amor en desvarío

Tradução

Encontros imaginários

Em encontros imaginários
Te vejo em meio à multidão
Planejo palavras ensaiadas
Saio a tropeçar no coração

Na solidão ansiosa e calada
Com invencível desejo de menina
Vivo isolada de toda sorte
A te buscar como ave de rapina

Sem ti, minha memória é uma luz
Que ilumina um canto sombrio
Feito olhos pagãos de um andaluz
Desenganado amor em delírio

Ana Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *