Alma de águia, trama de cordeiro

Bem, não sei se posso chamar isso de resenha, pois é realmente e somente minha opinião e visão sobre o livro.

ALMA DE ÁGUIA, TRAMA DE CORDEIRO
 Sim, meu caro Rodrigo, “a vida promove a morte”, todos os dias, a todos os momentos e o contrário não deixa de ser também realidade: a morte promove a vida! Alguns ficam assustados, outros fazem tudo perder o sentido, outros ainda começam a atribuir sentido às coisas quando se dão conta da morte!
Todas as compreensões já são tardias
É tempo de ação”.

Todos nós temos nosso tempo de espera. Tempo de iluminação, de espera e de ação. O autor não parece querer esperar muito e também não busca a compreensão, ou seja, o que ele sabe é suficiente para agir. O recado nos é passado de forma clara e objetiva: é tempo de ação! A revolta e a vontade de potência estão muito presentes nessa primeira parte do livro, é animador, é vivo!
Ainda nessa primeira parte, uma das poesias que mais me chamou a atenção foi “Dança da noite”. Não consegui identificar com precisão quem é o personagem, mas é de fácil entendimento (pelo menos o meu) que um ser acima dos mortais, um ser vil, está dialogando, ou monologando, como preferir, com um ser comum, um mero mortal e, para ele, ela será apresentada a morte, com uma justificativa muito convincente.
No começo da segunda parte está uma dialética do não contentamento, o tédio aparece como a morte dos que realmente vivem e não daqueles que estão apenas vivos. Esse descontentamento emerge como uma vertente para o novo passo, que é fazer algo.
Poesia egoísta”não é tão egoísta assim. O poeta sabe que, ao findar seu escrito, esse não mais o pertence; pertence ao leitor. Ao mesmo tempo que o autor se entrega a poesia, também dá dicas para que essa não faça seu autor sofrer. Muito interessante essa parte!
Logo após a contemplação da vida, o saborear do dia a dia, da paz. Chama a atenção a constante mudança, de humor, do que importa. Fico com a impressão de que quem escreve vem vivendo por muito, muito tempo. O esforço vale a pena!
Como diz o autor, a obra é dividida em cinco parte e esse livro trás as duas primeiras. Certamente recomendo a leitura e esperarei ansiosamente as partes que ão devir (com o perdão do trocadilho).
Ficha técnica:
Livro: Alma de águia, trama de cordeiro
Autor: Rodrigo Luis Mingori
Editora: Medusa
Ano de publicação: 2012
ISBN: 978-85-64029-01-9

Facebook para contato com o autor: http://www.facebook.com/rodrigoluis.mingori

1 comentário a “Alma de águia, trama de cordeiro”

  1. Muito bom Guiomar!
    Eu me abstenho de falar do muito sobre o conteúdo da obra, minha opinião é muito impactante pra quem lê, apesar de ser apenas uma opinião. Eu fico fascinado pelo que as pessoas descobrem com esse livro, isso que é o mais bacana. Gostei muito da sua interpretação e ela combina muito com o que eu acho do livro. hehe. Que, como eu digo na introdução é só o que eu acho, nada mais.
    Mas eu tenho algumas informações que podem colaborar na experiência do Alma, e uma delas acho que você viu, a primeira parte é Heterônimo, o Miguel O.
    Tenho que contar ainda a história do Miguel que não está no livro. É muito boa! =D
    Eu quero muito discutir o livro, não fiz isso ainda. E quero também ouvir o que as pessoas tem a dizer dele.
    Obrigado pela atenção e pelas palavras. Ainda apareço em Chapecó pra falar sobre o livro.
    Amplexo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *